Via Semente, por Serranegra

12:42



"Por vezes me sinto lua, Lua do meu viver. 


Se o brilho atua sinto-me resplandecer! 


Face escura me põe nua Expõe meus medos 


Liberta fantasmas que quero esconder. 


Se crescente, em mim latente, sinto o criar a desenvolver. 


Se minguante, dou um tempo, vem silêncio, sinto o fenecer.


 Quando é cheia conto um ponto, o sangue acelera o pulsar! 


É minh'alma renovada! No continuo ventilar da inspiração do ar dos anseios. 



Viver, Crescer, Brilhar! Nuas faces, luas nuas, Ciclo novo se insinua 

E recomeço!"

Por Júnia Serranegra, Odontopediatra, musicista e POETA.

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Subscribe